@postandotrechos entrevista! - Alana Gabriela

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016
Olá, leitores! 

Desde o mês passado aqui no blog, como alguns já sabem, começamos uma série de entrevistas com nossos parceiros. Estamos apresentando um pouquinho deles para vocês. Espero que gostem e se aproximem mais dos seus trabalhos.

A entrevistada de hoje é Alana Gabriela, anteriormente também conhecida como Nina B. Prescott. Alana tem 19 anos, é estudante de Letras Português – Inglês na UFS, blogueira, compositora e escritora estreante. Gabriela é viciada em séries: Grimm, The Blacklist e The Walking Dead; Leituras imprevisíveis, rebuscadas e músicas indie-folk e R&B. Ama ler o dicionário de inglês e português e olhar para o céu em dias de chuva. É autora dos livros "Efeito dominó", "A estranha mente de Seth" e "Histórias em retalhos". 


Vamos começar a conhecê-la melhor?


Olá, autora! Seja bem vinda à nossa série de entrevistas. A primeira pergunta é clássica: o que te inspirou a escrever o seu primeiro livro? Qual foi ele? E o que te fez querer seguir como escritora? 
Helloo, Brenda! Obrigada pela oportunidade. *-* O primeiro livro que escrevi foi Efeito Dominó, em 2013, e eu não me inspirei em nada em particular para fazê-lo. Quando eu era menor escrevi um livro baseado no filme Chamas da Vingança com Denzel Washignton e por isso eu quis desenvolver estórias que tivessem um final que me agradasse.  O meu processo criativo iniciou depois de assistir uma aula de redação para o Enem e então tive a ideia de escrever um estória mirabolante de um serial killer, mas conforme escrevia os rumos foram mudando até que Efeito Dominó ganhou um desfecho totalmente diferente. Quando comecei a escrever não pensava em seguir carreira de escritora, eu só escrevia e queria continuar escrevendo...

Você é muito jovem ainda e já tem um enorme talento. Quando você descobriu que poderia escrever livros que as pessoas pudessem gostar tanto? 
Ah, obrigada. Mas eu não descobri que poderia escrever livros, eu só escrevia, gostava de criar estórias, mas não tinha certeza se as pessoas iriam gostar e por isso que decidi lançar alguns por aí.


O primeiro livro seu que li e resenhei, “Histórias em retalhos”, foi publicado com o pseudônimo Nina B. Prescott. Houve algum motivo especial para isso? Se for possível e você se sentir bem com isso, nos fale um pouco sobre o assunto. 
Pois é, quando publiquei sob o pseudônimo não podia usar o meu nome para assinar algumas obras por questões contratuais, mas depois disso eu acabei usando o pseudônimo demais e cada livro novo que eu escrevia o colocava, foi a partir daí que eu percebi que estava tendo problemas com isso, me descaracterizando e então decidi parar e usar o meu nome. Além de que dava muito trabalho.


Você escreve desde poemas a narrativas baseadas em fatos reais. São processos de escrita diferentes quando ao tempo para elaborar, preparação e finalmente a conclusão dos livros? 
As pessoas tocam muito nesse ponto por causa das estórias com gêneros diferentes que escrevo; a verdade é que eu gosto de histórias não de gêneros. Fiz um post certa vez tratando sobre general textual e como já errei ao escrever um livro de terror: escrevi o livro em função do gênero e devia ter feito o contrário. O gênero é o meio não o fim. Eu penso na estória e depois que a termino enquadro.

Bem, Histórias em Retalhos é um livro bem rapidinho e o processo criativo foi diferente na verdade, histórias de romance são sempre muito mais fáceis de escrever e o tempo é mais curto para desenvolver. Escrevi um livro que se chama Adeus, então... e desenvolvi a obra em um dia. Meus amigos piraram e um deles até disse que eu tenho hipergrafia! Não sei se é verdade isso ahaha, acredito que é só exagero dele. Geralmente planejo todos os capítulos da estória antes de destrinchar cada pensamentos e desenvolver, mas com Adeus, então.. foi diferente. Como eu já disse, romance é muito fácil de escrever do que uma estória de fantasia, policial ou mitológica.

Mas tramas mais complexas demoro mais, por exemplo, Efeito Dominó demorei quatro a cinco meses, A Estranha Mente de Seth demorei um mês. 

O processo criativo é algo bem complicado de responder porque depende do que estou fazendo para me inspirar. Por exemplo, certa vez estava numa aula de química vendo um vídeo sobre os experimentos de bomba nuclear e acabei desenvolvendo uma música que se chama Suicidal End. Eu me inspiro com tudo e muito facilmente, principalmente se estiver estudando História Geral – melhor matéria. A Estranha Mente de Seth eu estava estudando para o Enem quando decidi desenvolver a estória. Acho que Efeito Dominó foi o único que a estória eu desenvolvi conforme escrevia, no início eu queria escrever um livro sobre um serial killer, e quem já leu já notou a mudança drástica. 


Além da carreira de escritora, você também faz faculdade de Letras. Você tem alguma rotina organizada para conciliar as atividades? 
O meu sobrenome é bagunça. Sou muito desorganizada, preparo algumas coisas, mas nunca consigo cumpri-las porque sou teimosa e desobedeço as minhas próprias regras e metas. Mas eu tento fazer tudo: estudar, ler, assistir muitos seriados, escrever, fazer música, bloggar, visitar outros blogs. É claro que não consigo fazer tudo no mesmo dia, mas tento fazer algumas coisas, tem semana que tenho vontade só de ler, outras prefiro assistir, depende muito do meu humor. 

Você gosta muito de assistir séries, certo? Alguma das suas favoritas já te inspirou para a criação de algum personagem ou de alguma história inteira? Qual?
Sim, sim. Ah, eu assisto muitas séries mesmo. Mas eu geralmente me inspiro por um fator em algum episódio, não pelo contexto da série; já me inspirei por causa de apenas um nome, uma cena super OMG ou uma nuance de um determinando personagem. Mas estou trabalhando em um livro chamado A Escolha de Mausi e me inspirei numa estória do episódio de Grimm, trata um pouco sobre os nativos americanos. Vou contar todo o contexto inspirador no final do livro, acho que as pessoas gostam de saber da inspiração do autor como eu também gosto, certamente ia querer ler os porquês nos livros.  


Qual foi o primeiro livro que você escreveu? Teve apoio da família e amigos desde o início? 
O primeiro livro que escrevi foi Efeito Dominó e como sou uma escritora descontrolada, quase todo mês estou trabalhando em uma nova obra, então não tem como ter um apoio em especial. Todo mundo fica feliz por mim, é claro, mas eu escrevo tanto... Quando decidi escrever meus colegas da escola me apoiaram muito, sempre me perguntavam sobre o desenvolvimento, davam palpites, meus professores ficaram extremamente maravilhados. Meus pais não são muito de ler, estão mais conectados a áreas matemáticas, mas nunca perguntei a opinião deles sobre, quando disse que estava escrevendo eles não disseram muita coisa, acharam legal e tals, mas acho que ser escritora era algo surreal para todo mundo, até para mim. Algumas pessoas da minha família que tem o costume de ler me apoiavam, mas quando decidi colocar as obras por aí e quando começou a dar frutos que as pessoas passaram a enxergar que eu podia escrever.  

Quais os maiores desafios que encontrou na carreira de escritora até agora?
Controlar a minha impaciência. Para mim a pior coisa é submeter um livro e ter que esperar um milhão de meses para receber uma resposta, eu sou muito apressada. Não que esperar por oito meses seja algo bom e razoável, mas eu realmente sou impaciente.  


Se pudesse indicar um de seus livros em especial, qual seria?
Eu queria indicar alguns livros que ainda não publiquei, não dá para eu sair na internet lançando tudo de uma vez, mas eu indico todos os livros que publiquei até agora ahaha; Efeito Dominó, A Estranha Mente de Seth e Histórias em Retalhos.

Qual conselho daria para aqueles que estão iniciando na carreira como escritores?
Sou péssima nesse quesito de palavras inspiradoras, mas vou dizer algo que me deixa feliz e que me lembra da música de Doris: continue a nadar. Mas trazendo para o âmbito da escrita: continue escrevendo, simplesmente. 






Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos
22 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

22 comentários:

  1. OMG! Estou impressionada com o talento desta mocinha tão nova... quantas conquistas e responsabilidades! Adorei ler a entrevista dela e conhecer seu blog :)


    bjs

    www.tpmbasica.com.br
    youtube.com/tpmbasica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! O talento dessa garota como escritora é incrível. E falo com propriedade de quem já leu três livros dela! Além de ser um amor de pessoa!!
      Obrigada! Seja bem vinda.

      Beijos

      Excluir
  2. Oie!
    Adoro conhecer novos autores. É interessante saber sobre os desafios de uma carreira de escritor e saber mais sobre s inspirações dela.

    Te indiquei para responder uma TAG:
    http://gatitaecia.blogspot.com.br/2016/02/tag-sisterhood.html#more
    Espero que goste!
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito gostoso conhecer esse lado mesmo! :D
      Passarei lá e respondo em breve!

      Beijos

      Excluir
  3. Que legal!
    não conhecia a autora ou os seus livros, mas ela é tão fofa e os livros parem excelentes, vou atrás de um agorinha!

    http://evillingdomeah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é um amor e as histórias são excelentes!! :D

      Beijos

      Excluir
  4. Conhecia a autora já, ela é uma fofa! Ainda não tive a oportunidade de ler os livros dela, mas pretendo fazer isso em breve. Muito boa a entrevista!
    Beijos.
    http://virandoamor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? *_* Adoro ela também. Espero que possa ler e curta! Fico feliz que tenha gostado, obrigada!

      Beijos

      Excluir
  5. Gostei muito da entrevista, sempre gosto de conhecer autores nacionais novos.
    Beijos
    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  6. Já ouvi falar em alguns dos livros da escritora, mas não li nenhum ainda. Bem legal uma pessoa tão jovem ter todo esse talento.

    Beijos,
    Leia a resenha de "Lua Azul"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim. Fico feliz de ver esse exemplo dela! :D

      Beijos

      Excluir
  7. Amei a entrevista e de conhecer o trabalho dela.
    O livro é bem interessante... todo o sucesso para ela, merece!
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderExcluir
  8. Olá! Adorei a entrevista, é sempre bom conhecer novos autores né?
    A autora parece ser um amor só, foi super fofa nas respostas!
    Parabéns pela entrevista :)

    Um beijo!
    Ana | Blog Entre Páginas
    www.entrepaginas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Ela é um amor e super talentosa! Obrigada.

      Beijos

      Excluir
  9. Não conhecíamos a autora, mais gostamos da entrevista e de conhecer o trabalho dela!! Ela é super talentosa!!

    beijos

    http://www.onlyinspirations.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado. Realmente, ela é!

      Beijos

      Excluir
  10. Que talentosa!Falo como escritora tbm que esse ramo é bem difici, tem que fazer por amor! Eu sonho um dia em publicar um livro fisico, apesar de ter dois em pdf
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim! Tem que lutar mesmo, mas com talento e paciência, com carinho ao que se faz, dá para chegar lá. *_* Oh, que legal saber disso!

      Beijos

      Excluir
  11. Ameeei a entrevista! Super legal!
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br
    Vídeo novo: https://www.youtube.com/watch?v=_LbfE9UtwYs

    ResponderExcluir

 
© Postando Trechos, VERSION: 02 - Dentro do céu - Agosto/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo