@postandotrechos entrevista! - Autora Li Mendi

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016
Olá, leitores! 

Desde o mês passado aqui no blog, como alguns já sabem, começamos uma série de entrevistas com nossos parceiros. Estamos apresentando um pouquinho deles para vocês. Espero que gostem e se aproximem mais dos seus trabalhos.

A entrevistada de hoje é Li Mendi. A autora escreve desde 2006 na web. Semanalmente, ela publica seus livros abertos, que são seguidos pelo grupo de leitores fiéis, que se reúnem em um fã-clube com já 900 integrantes. Este trabalho já rendeu mais de quinze livros online, que você pode ler gratuitamente no portal da autora. Quatro destes ganharam a versão impressa: O amor está no Quarto ao Lado, Coração de Pelúcia, A verdadeira Bela e Alma Gêmea Por Acaso. Seus próximos livros abertos começarão no wattpad, a rede social de livros, onde já há as obras da autora registradas. 


Vamos começar a conhecê-la melhor?


Olá, autora! Seja bem vinda à nossa série de entrevistas. A primeira pergunta é clássica: o que te inspirou a escrever o seu primeiro livro? Qual foi ele? E o que te fez querer seguir como escritora?
Escrevo livros acho que desde os quatorze, quando pensei em ser escritora. Na época, não havia internet, nem blogs. Todas as estórias ficavam registradas em cadernos, que se perderam nas mudanças. Depois, a praticidade do Word me fez esquecer a letra bonita e comecei a imprimir e encadernar os livros. Os amigos curtiam e o ciclo era pequeno de leitores. Mas, felizmente, a internet lá por 2000, me trouxe um mundo de gente pra conhecer meus romances. É assustador ver mais de 10 mil visitas em um livro e mil downloads de outro... O processo solitário agora é dividido com centenas de pessoas.

Até eu terminar a faculdade de jornalismo, havia horas a fio pra gastar teclando. Depois, veio a faculdade de publicidade, a pós-graduação, o trabalho frenético como publicitária e pronto, me peguei com saudade de escrever. Nesse meio tempo, quero dizer, nesse zero tempo, consegui fazer o meu primeiro lançamento impresso: O amor está no quarto ao lado. Em 2012, veio "A Verdadeira Bela" e depois publiquei também Coração de Pelúcia e Alma Gêmea por Acaso e O Mestre do Amor (meu primeiro hot). Quero lançar O Cozinheiro do Amor na Bienal de São Paulo agora em 2016.



Qual a inspiração para escrevê-los? Vejo muitíssimos filmes, leio livros e observo muito as pessoas no dia a dia. Então, vou fazendo anotações mentais, ou registro no telefone e monto um personagem. Não pego a história que alguém me contou ou vivi e reproduzo no papel na íntegra. Procuro construir essas personas.

Quando você percebeu que tinha um grupo grande de fãs dos seus romances? Como se sentiu com o sucesso? 
Eu acho interessante, mas, não me muda como pessoa. Pelo contrário, recebo tanto carinho e nem me sinto tão digna. Porque sou só uma garota normal, simples e que escreve. Acho que não mereço tanto amor e peço a Deus que isso jamais suba a minha cabeça. Espero que meus livros sempre estejam a frente da minha imagem. São minhas obras que importam, não, eu como "personagem". 

Quais os maiores desafios que tem enfrentado na carreira de escritora? 
Tempo. Antes, eu tinha tempo quando só estudava na faculdade e dizia que o problema era "volume de vendas". Mas, antes disso, eu culpava "Não ter uma editora". E, antes, "Não ter muita gente para divulgar, porque não havia a internet". E, antes, antes, antes... "Não ter um computador". 

Enfim, você vai vencendo cada problema, cada desculpa e seguindo em frente.

Hoje, é tempo. Porque trabalho o dia todo em uma empresa grande e em um cargo que demanda demais de mim. Eu poderia ser perfeitamente aquela personagem de começo de filme americano que está correndo cheia de papéis na rua, de saltos altos, com um café na mão e o telefone no ouvido, quase sendo atropelada enquanto atravessa a rua. Essa é minha vida.

Sofria horrores e chorava quando via que meu TEMPO para escrever diminuiu. Hoje, estou em outro momento terapêutico: "faço o que é viável dentro da minha realidade atual, mesmo que isso decepcione as pessoas, mas, não nasci para ser perfeita".


Qual foi a experiência mais gratificante que já teve na posição de autora? 
Estar na Bienal de 2015, recebendo os fãs e sendo reconhecida. Foi muito bom receber o carinho e dar todo aquele carinho.

De todos os seus romances, se pudesse indicar um em especial, qual seria? 
Coração de Pelúcia. Ele é profundo e me exigiu muito. Para quem não sabe, conta a história de um rapaz cego que se reencontra com seu antigo amor da adolescência. Os dois entram para um concurso de dança e vencem as superações.

Tive que me imaginar como uma pessoa cega e fiquei andando pela casa e fazendo coisas de olhos fechados. Vi filmes, li livros e mergulhei. Claro, ainda tem a parte da dança que me fez ver todos os vídeos possíveis de tango no Youtube.

Até que tive a genial ideia de falar para o meu marido que dançaríamos tango no nosso casamento na hora da dança do casal e que sairíamos da igreja com "Por una cabeza". Coitado, depois de ter negado, implorado para eu mudar de ideia, suportou os ensaios e foi espetacular! Fizemos uma cena de um filme na hora. Nossos convidados foram ao delírio. Foi incrível. (Com direito ao garçom, a taça, as caras e bocas e tudo o mais!)


Coração de Pelúcia foi tão forte que estava comigo dentro do meu casamento. Nunca vou esquecer.

Já ouviu algo de alguém durante sua carreira que te marcou muito? Se sim, de que forma isso te influenciou?
Sim. Em um Natal que estava meio chateada pelas vendas e perspectivas, uma querida leitora me contou que estava com um problema de saúde gravíssimo, mas, que quando lia meus livros, sorria e esquecia da realidade. Chorei muito e me vi como medíocre. Então, aquele dia mudou tudo. Minha missão é escrever para fazer as pessoas felizes, não é vender. Porque se for vender, cada dia que não vender o número que quero, vou sofrer. E se nunca chegar ao sucesso que quero? Felicidade não é o ponto de chegada, é como fazemos o caminho. E quero fazer meu caminho me divertindo com o que escrevo para fazer pessoas sorrirem. Esse é meu MOTIVO.

O que te fez decidir publicar seus livros na íntegra na internet? 
Na verdade, comecei na era dos primeiros blogs. Nem sonhava que conseguiria ter uma editora. Achava impossível... Então, criava, me divertia e publicava. E depois de serem tão baixados, não faz sentido tirar. Espero que alegrem a vida de tantas pessoas. Enquanto isso, já publiquei 5 impressos.

  
 
Livro impressos publicados pela autora

Há algum novo projeto em desenvolvimento? 
Estou agora terminando O COZINHEIRO DO AMOR. Ele conta a história de um dançarino de um clube das mulheres que é cozinheiro durante o dia e se apaixona por sua nova chefe que é surda. Sim, esse livro está demandando bastante de mim como Coração de Pelúcia. Preciso fazer devagar, ler, estudar, ver outras referências, parar e voltar. Porque não é fácil quando estou escrevendo como a Maísa. Mas, está mega emocionante e ops... apimentado.

É um livro com pitadinha hot. Acima de tudo um ROMANCE emocionante e até engraçado, porque minhas personagens mulheres são sempre bem divertidas e atrapalhadas. Não quero que lembrem esse livro pelas cenas de sexo, elas fazem parte do livro, não é o motivo do livro.

Para os jovens autores, que conselhos daria? 
Encontre seu motivo. Depois, prometa a si mesmo que vai segui-lo em primeiro lugar. Em seguida, trabalhe duro até quase doer (as mãos, a cabeça, a coluna, a lombar, o pescoço). E, por último, tenha FÉ. Ao escrever um capítulo pense "estou me divertindo?". Se você não gostar muito do que lê, esquece, vai tomar umas biritas, dar uma volta no parque, namorar, ver um filme... Ai volta, e faça melhor. Tem dias que não flui. Mas, quando fluir, tranque a porta do quarto e esteja em outro mundo. Só cuidado para as panelas não queimarem... rs






Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos
7 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

7 comentários:

  1. Adorei saber da história e inspiração para Coração de Pelúcia. Parece ser um romance tocante. Os "sacrifícios" que a autora passou (andar de olhos vendados e praticar aulas de dança) mostram o compromisso com a literatura. Isso é lindo! :) beijos e sucesso à Li!
    whoosthatgirrl.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem interessante, né? Achei fantástica essa dedicação dela. *_*

      Beijos

      Excluir
  2. Oi!
    Adorei a entrevista, nunca li nada da autora mas sempre ouço maravilhas e vendo como ela fala sobre sua criação e escrita, acho que todos tem razão. Preciso ler algo dela logo ^-^
    Beijinhos

    Borboletas de Papel
    | Dossiê Cultural

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As histórias da Li são uma delícia! Vale a pena buscar algumas para ler, ainda mais depois dessas respostas! *_*

      Beijos

      Excluir
  3. Adoooro essas entrevistas. Caraca, ela escreve livro desde os 14, meu deus. Estou impressionada com ela haha
    Dá pra ver que ela realmente gosta do que faz, um carinho e uma dedicação gigantesca.

    Beijos, Love is Colorful

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POIS É! kkkkk Queria ser igual a ela, mas... :P Por enquanto estamos aqui. hahahaha Sim sim, isso deixa tudo ainda mais bonito, não é?

      Beijos

      Excluir
  4. Hi girl, nice post, Love your blog!
    My new post is up, please check it out, I followed you so if you want to return it would be great, if you already did it Thank you! :D <3
    http://missbabybluelove.blogspot.rs/2016/02/black-and-white.html

    ResponderExcluir

 
© Postando Trechos, VERSION: 02 - Dentro do céu - Agosto/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo