Resenha - Toda luz que não podemos ver

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Título: Toda luz que não podemos ver
Autor(a): Anthony Doerr
Número de páginas: 528
Editora: Intrínseca



Por: Brenda Sousa

"'Abram os olhos', concluiu o homem, 'e vejam o máximo que puderem ver antes que eles se fechem para sempre.'" 
Toda luz que não podemos ver, Anthony Doerr

Marie-Laurie era apenas uma garotinha quando perdeu a visão. Seu pai passou a fazer de tudo para que a menina não se tornasse completamente dependente de outras pessoas tanto para fazer tarefas diárias, quanto para passear na rua. Ele construiu para ela uma maquete da rua onde moravam, detalhadamente, e lhe ensinou os caminhos. Ele comprou livros em braile para ela em alguns aniversários para que ela pudesse viver no mundo da fantasia dos livros mesmo após ter perdido a visão. Ele trabalha em um museu, o qual possui um dos diamantes mais preciosos do mundo em forma de gota. E na iminência da guerra, essa informação foi de extrema importância para os alemães. 

Werner é um rapaz que vive num orfanato com sua irmã, Jutta, e algumas outras crianças, supervisionado por Frau Elena. Ele e Jutta adoram explorar os arredores e ouvir coisas no rádio, tranmissões sobre ciência, sobre o mundo, a natureza, enfim. Até que um dos rádios quebra e Werner faz de tudo para consertar. Mal sabia ele que, as habilidades que adquiria aos poucos consertando coisas apenas por hobbie, se tornariam sua maior fonte de sobrevivência na guerra. 

"'Veja os obstáculos como oportunidades, Reinhold. Veja os obstáculos como inspirações." 
Toda luz que não podemos ver, Anthony Doerr

A guerra começa, as fugas se intensificam, pessoas se perdem umas das outras, algumas morrem e o caos se instala na Europa. Werner é enviado a uma escola secundarista para preparação de garotos para trabalhar para o Führer, por mais que não tenha noção do que se trata tudo isso. Essa foi a opção mais plausível para fugir da morte nas minas, como aconteceu com seu pai. Ele se afasta da irmã e do orfanato, e aos poucos passa a desenvolver cada vez mais sua habilidade com rádios, tornando-se muito útli para a guerra. Marie-Laurie e seu pai fogem de Paris em direção a cada do tio-avô dela, e é lá que passam a maior parte da história, sob o som de aviões e ataques de guerra.

Em um cenário caótico, cheio de riscos e confusões, Marie-Laurie e Werner tentam sobreviver a um dos maiores acontecimentos da história mundial. Como será que essas crianças, tão jovens, vão se virar num mundo com problemas tão complicados a serem resolvidos? 


Descobri este livro na turnê Intrínseca do ano passado e de cara tive vontade de ler. Gosto de livros com a temática da Segunda Guerra Mundial e esse foi mais um que entrou para a minha lista de leituras. Eu não imaginava que o livro seria tão longo. Porém, o número de páginas não foi o aspecto mais negativo, mas sim a falta de necessidade de tantas palavras para escrever esta história. Alguns pontos são, sim, importantes, outros muito interessantes sobre a guerra, mas acredito que seria possível contar esta história em menos folhas e menos cansativa. Demorei bastante para terminar, pois acredito que há muita informação em cada capítulo, por mais que eles tenham no máximo três páginas cada um. 

Apesar de não ter gostado de algumas coisas, é uma história interessante de ser acompanhada, com um final carregado de sentimentalismo, que nos faz entender o que devem passar pessoas que sobreviveram a essa guerra e tem essas lembranças até hoje. Para quem gosta do tema, é um livro rico para ler, com referências à história mundial e com pontos bastante singelos no decorrer da trama. 

"A cada hora, pensa ela, alguém para quem a guerra era uma memória deixa este mundo." 
Toda luz que não podemos ver, Anthony Doerr





Brenda Sousa
21 anos. Baiana. Blogueira, leitora viciada, apaixonada por séries de TV. Graduanda em Fonoaudiologia. Criadora do @PostandoTrechos
19 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

19 comentários:

  1. Não gostamos muito de livros com temática da Segunda Guerra Mundial, achamos o tema pesado para uma leitura!! Mas gostamos da sua resenha!!

    beijos

    http://www.onlyinspirations.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo! Alguns deles falam de forma bem sútil, até. Obrigada! ;**

      Beijos

      Excluir
  2. Muito obrigado pelas palavras :D Embora não te consiga ver na box dos seguidores, já estou a seguir de volta!

    Adorei a resenha. este é do género de livros que adoro ler :D

    NEW POST | FOREO LUNA GIVEAWAY
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! Eu gosto muito também. Nos mostra outros lados da guerra...

      Beijos

      Excluir
  3. Acredito que não leria a obra, pois sou uma covarde e não consigo lidar com o sofrimento que ocorreu naquela época, até hoje não consegui ler o livro "o menino do pijama listrado" que é curtinho quem dirá que é tão grande e detalhado.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem difícil mesmo. =/ Mas não é covardia não, acho que cada um lida de forma diferente com as coisas, mesmo.

      Beijos

      Excluir
  4. Oiii

    Resenha ótima

    No momento estou fugindo um pouco de temas difíceis como guerra. Acho que sinceramente já vivemos em um mundo tão caótico, tão doloroso. Realmente pelo menos nas minhas leituras quero um pouco mais de esperança, sabe?
    Sei que é bom ler às vezes sobre temas assim. Se não esquecemos, não repetimos os erros.
    Porém, em um momento aonde cenas trágicas como a guerra síria estão pipocando em todos os jornais, eu prefiro me apartar um pouco e ler coisas mais alegres

    Beijokas

    naprateleiradealice.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo perfeitamente. Esse livro traz o sofrimento, mas traz a esperança também. Traz a importância de pequenos gestos, apesar de trazer toda a ganância da guerra. Esse lado mais cruel vem de forma "sutil" nesse livro, mas é algo para revezar com leituras mais leves mesmo... Mas é isso aí. A esperança tem que estar sempre presente. <3

      Beijos!

      Excluir
  5. Oi, tudo bem? Adorei a resenha, mas infelizmente não tenho interesse em ler esse livro. Algo me diz que não vou gostar dele! rs

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Parece ser um livro interessante, mas já li tantos livros que se passam na Segunda Guerra Mundial que não tenho vontade de ler mais um por um bom tempo.
    Te indiquei para uma tag: http://bluebellbee.blogspot.com.br/2016/02/tag-diario-de-leitor.html
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto bastante do tema, mas tem que ter coração forte e revezar mesmo com coisas mais leves...
      Opa, vou lá ver e responder em breve!

      Beijos

      Excluir
  7. Me lembrou um pouco A Menina que roubava livros, justamente por ser "drama durante a segunda guerra". Fiquei muito curiosa. Parece bem intenso e interessante, além do que a capa é linda.
    boa semana :)

    Red Behavior

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem um coisa um pouco parecida mesmo. A capa é muito linda, sou apaixonada. <3
      Obrigada, para você também!

      Beijos

      Excluir
  8. Eu gosto bastante de livros com essa temática. Particularmente, acho que a guerra é algo que não devemos esquecer, e livros como esse nos ajudam a lembrar do que não queremos mais que aconteça. Apesar dos pontos negativos citados na resenha, creio que irei gostar. Beijos ^^

    www.imaginaivy.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. É importante ver coisas diferentes sobre o tema TB. Sim, eu gostei, apesar desses pontos... Espero que possa ler e curte! ;)

      Beijos

      Excluir
    2. Verdade. É importante ver coisas diferentes sobre o tema TB. Sim, eu gostei, apesar desses pontos... Espero que possa ler e curte! ;)

      Beijos

      Excluir
  9. Respostas
    1. SIIIIM! Eu babo muito nos lançamentos deles! Amo amo amo.

      Beijos

      Excluir

 
© Postando Trechos, VERSION: 02 - Dentro do céu - Agosto/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo